Saltar para o conteúdo

Thunderbolt ou USB-C, a revolução na transmissão de dados

Aquando o desenvolvimento do USB 3.1, as empresas HP, Microsoft, AMD e Intel juntaram-se para apresentar um projeto de uma nova conexão USB para computadores mais leves e finos. A proposta foi melhorar os conetores do padrão USB 3.1 para algo compato que pudesse ser usado na área da informática.

Os grandes pilares desse projeto foram facilitar a conexão entre os dispositos em qualquer direção, portas (contetor fêmea) colocadas em equipamentos com altura menores que 3 milímetros e que os plugins não fossem polarizados para haver a possibilidade de serem colocados tanto de baixo ou de cima.

A partir desse projeto foi apresentado o USB-C, também conhecido como USB Type-C. E, eu fiquei verdadeiramente feliz, visto que o novo conetor vinha com a promessa de ser reversível. Mas, este padrão vai muito além disso! Afinal, não só substitui todos os antigos conetores USB como também permite trabalhar com outras tecnologias de transferência de dados. É maravilhoso, não é?

Chegou a confusão

Inicialmente, as primeiras grandes empresas tecnológicas a implementar o USB-C foram a Google e a Apple nos seus produtos Chromebook Pixel e Macbook, respetivamente. Com este padrão consegues transferir vídeo, áudio e dados em alta velocidade, bem como transferir energia elétrica com limite máximo de 3 amperes.

Decorria o ano 2011, a Apple tomou a decisão de atualizar a linha dos MacBook Pro. Para isso e, com o intuito de chamar a atenção das pessoas, os novos laptops vieram com uma porta Thunderbold. Durante a fase de desenvolvimento, essa tecnologia ficou conhecida como Light Peak. E, com ela, chegou uma verdadeira confusão!!!

Afinal, o que é o Thunderbolt?

A Intel foi a principal responsável pelo desenvolvimento do Thunderbolt, um padrão de comunicação entre dispositivos que, em parte, aproveita os recursos tecnológicos já existentes. Esta tecnologia utiliza protocolos de dois padrões: DisplayPort (interface para transmissões de áudio e vídeo) e PCI Express (barramento que é usado para a conexão interna de dispositivos ao computador). Mas, a sua caraterística mais impressionante (e marcante) é a velocidade!

A terceira (e mais recente) versão do Thunderbolt consegue alcançar até 40 GB/s (é o mesmo que transferir 5 gigabytes por segundo). Com isso, tu consegues ligar simultaneamente dois ecrãs com resolução 4K ou forneceres até 100 watts de energia para carregar um portátil. Impressionante, não é?

USB-C vs Thunderbolt

Em termos estéticos, a diferença entre os cabos USB-C e os cabos Thunderbolt é o ícone. Para identificares portas USB-C compatíveis com Thunderbolt deves verificar se têm o símbolo do raio.

Se o Thunderbolt é tão rápido na transmissão de dados, será que essa tecnologia ocupará o lugar do USB? Até ao momento isso não aconteceu e, provavelmente, não acontecerá!

A versão 3.1 do USB é extremamente popular e a sua implementação é mais barata. Por sua vez, consegue alcançar 10 GB/s, mais do que o suficiente para a maioria das aplicação.  Assim, o Thunderbolt tornou-se num complemento para aqueles utilizadores que encontram limitações no USB. Afinal, permite transmissões de vídeo e áudio com altíssima qualidade.

O que é mais importante para ti? USB-C ou Thunderbolt?

Categorias

Dicas

Etiquetas

,

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.